Blog


O que esperar do mercado de Cloud Computing no Brasil em 2019?

Este foi um ano de afirmação para a tecnologia em cloud, devido a ela ainda ser encarada com ressalvas por muitos usuários. Mas, aos poucos, essas desconfianças foram sendo superadas e agora é quase impossível imaginar um negócio que não opte por aplicar serviços integrados de gerenciamento e Backup em Nuvem, por exemplo. Porém, se você acha que 2018 já foi bom para esse setor, veja o que esperar do mercado de Cloud Computing no Brasil em 2019.

É fato que muitas empresas já passaram a enxergar a tecnologia em nuvem como uma das principais maneiras de aumentar sua competitividade, otimizar processos e, principalmente, reduzir seus custos, e é isso que vem impulsionando cada vez mais esse mercado.

Com isso, podemos afirmar que a grande tendência do setor para os próximos anos será que as pequenas e médias empresas continuarão aumentando seus investimentos em serviços como IoT, Big Data, Blockchain, Pay-as-you-go e outros produtos relacionados a Cloud Computing.

O Business Process (BPaaS) também será outra tendência do mercado de tecnologia em nuvem no país em 2019 se tornando uma peça fundamental no ciclo de vida administrativo para uma boa parte das nossas companhias.

Segundo a Gartner, uma das mais importantes empresas de consultoria do mundo, essa recente categoria da tecnologia em nuvem, deverá crescer aproximadamente 7,9% em 2019 e países emergentes como o nosso, serão grandes consumidores dessa tecnologia. Mas é só isso que devemos esperar do mercado de Cloud Computing no Brasil em 2019? Fique certo que não.

Hardware as a Service (HaaS)

Ainda segundo a Gartner, o seguimento de HaaS será o principal motor da computação em nuvem no próximo ano sendo que ela estima que até 2022 cerca 90% das companhias devem aderir aos serviços de Hardware as a Service.

Além disso, um estudo realizado por ela aponta que só em 2019 os investimentos em Infraestrutura como serviço deverão crescer 27,6% no planeta representado aproximadamente US$ 31 bilhões em investimentos nos próximos 12 meses.

Outra tendência que começou a surgir forte em 2018, mas que promete se consolidar em 2019, é o uso da própria nuvem como fonte de inteligência de negócios fornecendo serviços baseados na localização, na experiência e no comportamento de clientes, funcionário e demais usuários.

Com isso, companhias já estão coletando dados para desenvolver novos produtos e aplicações no local de trabalho e, em 2019, mais empresas vão buscar usufruir dos recursos analíticos já disponíveis para obter uma visão mais integrada combinando seus dados de rede com seus aplicativos e suas infraestruturas de cloud, por exemplo.

Por fim, estimasse que em 2019 mais de 30% dos investimentos em desenvolvimento de novos sistemas criados pelas 100 maiores companhias desse setor serão exclusivamente para tecnologias em nuvem, o que vai representar um aporte de quase US$ 206,2 bilhões só em serviços neste seguimento.

Então, quer saber mais sobre tecnologia em nuvem e ficar por dentro de outras tendências do mercado de Cloud Computing no Brasil em 2019? Acesse nosso site e confira mais novidades no nosso blog.


Ransomware: O que é e como se proteger?

Vivenciamos um momento em que a tecnologia ocupa lugar de destaque na vida de todo indivíduo, pois a sua utilização na área pessoal e/ou profissional possibilita inúmeras vantagens em todo tipo de atividade, desde as mais simples até as mais complexas. Isso traz um ambiente que nos coloca constantemente conectados, de modo que consumimos e compartilhamos informações em tempo real.

Se por um lado isso proporciona muitos benefícios, por outro, ficamos mais vulneráveis às ações de pessoas ou grupos mal-intencionados. Esses grupos possuem conhecimento avançado na área de tecnologia da informação e um dos seus principais objetivos é obter vantagens financeiras de forma ilegal.

Uma das maneiras de ataque utilizadas atualmente é por meio de ransomware — mas você sabe o que isso significa? Conhece as principais estratégias para proteger os dados da sua empresa desse tipo de ataque?

Confira neste artigo tudo o que você precisa saber a respeito desse tema tão importante.

O que é o ransomware?

O ransomware é uma praga virtual (malware) que consiste no bloqueio digital de computadores. Geralmente esse bloqueio ocorre com maior frequência em empresas (servidores e estações de trabalho) por terem dados mais relevantes e sensíveis ao desenvolvimento das atividades do empreendimento.

Esse bloqueio ocorre como um sequestro do computador afetado, de modo que o usuário perde todo o acesso aos seus arquivos e softwares. E nesse momento os cibercriminosos exigem o pagamento de certa quantia para reestabelecerem o acesso do usuário ao computador afetado. Geralmente o pagamento do “resgate” é por meio de algum tipo de criptomoeda (como a bitcoin) por ser mais difícil de ser rastreada.

Como se proteger de um ransomware?

Agora que você entendeu o que é como age o ransomware, chegou o momento de aprender a se proteger desse tipo de malware e, assim, resguardar os seus arquivos e informações.

São 5 passos simples e fáceis de serem aplicados, mas que produzem resultados efetivos. Descubra logo abaixo!

1 — Sistema operacional sempre atualizado

O primeiro passo para estar protegido contra os ataques de cibercriminosos é manter o sistema operacional do seu computador sempre atualizado, visto que o principal foco do ataque é tentar encontrar brechas e vulnerabilidades de segurança.

No entanto, as empresas desenvolvedoras desses sistemas operacionais estão em constante processo de busca de falhas que possam afetar o nível de confiabilidade e segurança e, assim, disponibilizam atualizações para corrigir as vulnerabilidades encontradas.

Assim, um sistema operacional com todas as atualizações de segurança instaladas proporcionará um ambiente mais seguro e confiável. No entanto, os demais itens que virão a seguir não devem ser negligenciados.

2 — Utilize um software de antivírus e firewall

Além de manter o seu sistema operacional sempre atualizado é fundamental adotar o uso de softwares adicionais de segurança, como antivírus e firewall. Esses softwares proporcionarão um ambiente mais seguro, evitando a infecção por malwares e acessos não autorizados ao seu computador.

Vale ressaltar que esses softwares também devem estar sempre atualizados, já que novas pragas virtuais são criadas a cada dia e, por isso, esses softwares devem ter recursos para reconhecê-las e agir de forma ativa.

3 — Cuidado com os e-mails

Um dos canais utilizados por cibercriminosos para infectar os computadores das suas vítimas ocorre por e-mails com links maliciosos. Assim, é solicitado que o usuário clique em um determinado link que leva para uma página falsa ou que faz a instalação automática do malware e, a partir daí, seu computador passa a estar em situação de vulnerabilidade.

Por isso, desconfie de e-mails de remetentes desconhecidos e com links suspeitos. Se não tiver certeza, não clique em nenhum link e exclua a mensagem imediatamente.

4 — Download de arquivos somente de fontes confiáveis

Assim como os e-mails maliciosos, o download de arquivos de fontes não confiáveis e/ou desconhecidas pode colocar o seu computador e rede em risco, pois podem estar infectados com algum tipo de malware, como um ransomware, por exemplo.

Logo, tenha total atenção ao realizar o download de arquivos e busque sempre sites confiáveis, conhecidos e com idoneidade no seu respectivo nicho de atuação.

5 — Backup dos arquivos em nuvem

O backup é o “bote salva-vidas” para os momentos de emergência em que tudo dá errado. É de extrema importância a realização periódica de backups dos arquivos de todos os seus computadores pessoais e de uso empresarial.

O backup proporciona a tranquilidade de saber que os seus dados estão guardados em local seguro e livre de pragas virtuais. E, caso ocorra algum tipo de sequestro digital por um ransomware, basta restaurar o sistema para a última cópia realizada.

No entanto, para que o backup cumpra os requisitos de segurança é aconselhável fazer suas cópias em um serviço de cloud backup, visto que todos os seus dados estarão armazenados fora do seu local de origem, ou seja, estarão alocados em datacenters avançados e que contam com todos os sistemas de segurança ativos.

Além disso, os backups na nuvem podem ser realizados de forma automática, com fácil gerenciamento e com acesso somente às pessoas autorizadas. Dessa forma, sua empresa poderá ter a tranquilidade de não sofrer com os grandes impactos causados por ransomwares e demais ataques que possam afetar as suas operações.

Assim, ao adotar esses 5 passos, certamente, os dados da sua empresa estarão seguros e você poderá se dedicar às demais áreas do empreendimento.

Mantenha os dados da sua empresa em local seguro e armazenados em datacenters avançados! Conheça agora mesmo o serviço Elo Backup, a sua solução em Cloud Backup! E se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco e fale com um dos nossos consultores.


Política de backup: Entenda o que é e como funciona

Podemos dizer que o cloud backup, ou backup em nuvem é hoje a solução de guarda de dados mais utilizada e vantajosa. No entanto, existem inúmeras soluções no mercado de cloud backup, e antes de decidir o que sua empresa utilizará, é preciso entender qual o plano mais conveniente para a sua realidade corporativa, e também o que perguntar para checar se um fornecedor é confiável – outra informação essencial para você conseguir escolher bem. Continue lendo este artigo.

Vantagens do backup em nuvem

A maior vantagem é, sem dúvida, a possibilidade de abrir os dados em qualquer dispositivo ligado à Internet, em qualquer lugar e a qualquer momento, possibilitando que várias pessoas, não necessariamente lado a lado, consultem-nos e trabalhem neles ao mesmo tempo;

-Como eles podem ser abertos em qualquer máquina, se uma for vitimada por um desastre pode-se recuperar os dados em outra;

-A capacidade de memória pode ir se expandindo à medida que a empresa necessita;

-Sistemas de criptografia protegem os dados da violação de pessoas que não têm a chave;

– Optar por backup em nuvem é mais seguro que usar armazenamento em nuvem: este apenas armazena os dados na nuvem, sem criar cópias deles. Ou seja, você pode perder arquivos importantes se acidentalmente deletá-los.

Tipos de cloud backup: isto se refere principalmente a, diante de cada operação de alteração em algum arquivo, se o sistema copia o mesmo arquivo com as atualizações ou apenas salva as atualizações, tendo como base o primeiro arquivo salvo.

a) Backup diferencial: este faz uma cópia de segurança a cada alteração que você fizer no arquivo, porém sempre tendo como base o arquivo salvo no primeiro dia. Isso garante que esse tipo de backup ofereça uma recuperação de dados mais rápida que o incremental. Além disso, ele armazena mais dados, o que também exige mais espaço na memória.

b) Backup incremental: salva apenas as alterações no arquivo, sem copiá-lo todo novamente. Como consequência, o processo de backup é mais ágil, e os dados ocupam menos espaço na memória. Mas a recuperação de dados é mais lenta, porque precisa primeiro verificar o último backup completo, depois os incrementais, e só depois se localiza em que arquivo aconteceu alteração. É uma boa solução para pequenas e médias empresas, que produzem menos dados.

O que perguntar para seu fornecedor

– Acordo de Níveis de Serviço (SLA): é o contrato da empresa com o fornecedor, criado conforme as necessidades daquela. Ele especifica tudo que o sistema de backup em nuvem precisa realizar pela empresa, incluindo as punições para o fornecedor que não cumprir a palavra;

– Aliado a isso, é muito importante pesquisar a reputação do fornecedor no mercado: pergunte a opinião de clientes;

– O plano tem sistema de criptografia?

– No caso de um desastre, onde ficam os dados de backup? Qual o procedimento para chegar a esses dados? Ele está descrito num documento? Onde esse documento ficará? Em quanto tempo conseguirei baixar esses arquivos? O tempo e o procedimento variam conforme o desastre? Por exemplo, o tempo é um para uma pane na máquina e outro para um incêndio no prédio?

– O plano oferece teste de recuperação de dados? Com que periodicidade?

Quer saber mais? Conheça os planos Elo Cloud – Backup. Clique aqui!


X coisas que o varejo precisa saber sobre computação em nuvem

É certo que as tecnologias, atualmente, são indispensáveis no setor de varejo, acelerando os processos e facilitando desde uma simples venda até a organização das instituições. Hoje, ainda, o varejo conta com mais uma facilidade que pode impulsionar os negócios: a computação em nuvem.
Nada mais é que a utilização de softwares somente pela internet, dispensando uso de máquinas outras instalações. A seguir, seis coisas que o varejo precisa saber sobre computação em nuvem.

Computação em nuvem traz mais segurança

Imagine a seguinte situação: você, varejista, tem todos os dados e informações pertinentes aos seus negócios salvados em um software no computador. Acontece um imprevisto – inundação, incêndio, falha técnica – e você perde seu computador e tudo que estava nele. Um pesadelo, certo?
Na computação em nuvem isso não aconteceria, pois, como os dados não precisam de uma máquina para ser salvos, estão “na nuvem”, eles sempre serão preservados aconteça o que acontecer.
Isso porque o sistema de computação em nuvem replica os dados por diversos servidores pelo mundo. Mesmo que algum deles “caia”, os dados continuarão disponíveis para serrem acessados.

É de fácil manuseio

Os gestores não precisam contratar pessoal especializado para manusear os sistemas em computação em nuvem. Isso porque grande parte das empresas provedoras de computação em nuvem fornece dispositivos e painéis extremamente acessíveis, de simples manuseio, podendo ser compreendida por toda a equipe de gestão.

Modernidade na gestão das organizações
O varejo, hoje, se encontra em um contexto de muita competitividade. Isso significa que as organizações precisam sempre se atualizar e aprimorar seus procedimentos. Com a computação em nuvem, modernidade na gestão dos negócios é garantida, pois ela fornece as formas mais modernas de ser administrar os negócios com o melhor da tecnologia.

O acesso é por meio da internet
Para ter acesso à nuvem é preciso um dispositivo que tenha acesso à internet. Essa, talvez, seja uma desvantagem em relação à computação em nuvem.
Como as nuvens ficam localizadas em grandes Datas Centers, com conexão à rede mundial de computadores, as informações só são acessadas pela rede.

Computação em nuvem permite mais acessibilidade
Os gestores podem acessar os dados e sistemas de qualquer localidade de maneira rápida e acessível, pois eles estarão à sua disposição por qualquer dispositivo móvel – tablet, celular… Isso agiliza os processos, pois você pode fazê-los em tempo real sem precisar se deslocar, enviar e-mails ou solicitar que alguém na sede o faça para você. Assim, as tarefas podem ser executadas a qualquer momento e lugar.
A criptografia avançada tem garantido a segurança nas migrações de sistema, deixando tudo mais moderno e seguro.

Economia
Implantar um modelo de gestão em nuvem requer um investimento inicial, mas, de qualquer forma, esses custos ainda são muito baixos se comparados às formas tradicionais e manuais.
Ainda, a própria provedora da nuvem se encarrega de atualizar e renovar o sistema, você economiza tempo e não precisa gastar com novos equipamentos.

Gostou do conteúdo? Conheça mais em: www.flexa.cloud!


Política de backup: Entenda o que é e como funciona

Não há razão para ter dúvidas sobre as vantagens de uma empresa migrar para a nuvem, conhecido também pelo nome em inglês cloud computing. De um modo geral a troca traz redução nos gastos, além de flexibilidade e agilidade.

A tecnologia já está presente na vida da maioria das pessoas que usam a internet e têm uma conta de e-mail, permitindo que o acesso a arquivos seja feito de qualquer lugar utilizando a rede.

Para empresas, a internet se torna interessante, pois permite que sejam armazenadas as informações do negócio, assim como permite realizar o processamento dos dados sem a necessidade de softwares ou servidores da empresa de forma física.

Grande parte dos empreendedores já pensou em migar pra a nuvem – na verdade, a maior parte já fez a migração e a tendência é que todas as empresas adotem a tecnologia no futuro.

Os benefícios de migrar para nuvem

Optar pelo cloud computing é uma boa ideia tanto para as grandes empresas como para médias e pequenas. Vamos conhecer os principais fatos que comprovam que é uma boa opção para a sua empresa.

1. Redução nos gastos: Esta tecnologia tem sido adotada por muitas empresas devido à economia de recursos que ela proporciona. Armazenar os dados em nuvem traz redução nos gastos, pois a empresa não precisará mais ficar atualizando softwares e nem investir em servidores físicos. Há ainda uma economia no espaço físico, já que estes equipamentos não estarão mais lá.

2. Mais competitividade: Quando diminuem os gastos com infraestrutura de TI, a atividade principal ganha destaque nos esforços da empresa, que tende a expandir os negócios. Migrar para a nuvem também dá mais agilidade na entrega do serviço/conteúdo ao usuário, acelerando todo o processo de produção e aprovações.

3. Flexibilidade: Dados em nuvem podem ser acessados de qualquer lugar e de dispositivos diversos (smartphone, tabletes, notebooks), por isso o sistema pode ser acessado até mesmo fora da empresa para fechar um negócio, sempre que surgir uma oportunidade. Para gestores, isso facilita o controle das informações de interesse maior, sem a necessidade de carregar papéis nas viagens e reuniões nem depender de pen drives.

4. Mais segurança: O ponto mais alto de migar para nuvem é a segurança que esta tecnologia oferece para a empresa. Quando salvos na nuvem o risco de perder as informações e dados é praticamente zero, devido as backups e a guarda estarem sob responsabilidade de quem fornece a computação em nuvem. Fazer backups em nuvem é a melhor opção.

5. Comunicação interna melhor: Com esta tecnologia a comunicação melhora, pois videoconferências, por exemplo, podem ser feitas sem necessidade de instalação de programas nos computadores. Ainda é possível usar mensagens instantâneas online, o que torna a comunicação mais fácil.

Estas são alguns dos fatos que estão relacionados ao uso do cloud computing, uma opção de tecnologia que traz eficiência e agilidade para o trabalho, permitindo, inclusive, que pessoas diferentes trabalhem ao mesmo tempo em uma tarefa. O aumento do desempenho e a segurança dos dados que precisam ser armazenados são características presentes quando se usa a nuvem.

Agora que você conhece as vantagens desta tecnologia, navegue pelo nosso site para saber mais sobre como sua empresa pode se beneficiar da computação em nuvem! Clique aqui!


Tipos de backup: Qual o ideal para o meu negócio?

Tipos de backup: Qual o ideal para o meu negócio?

A perda de dados e documentos digitais é uma realidade que afeta não só computadores pessoais como também empresas. Qualquer computador está sujeito a sofrer falhas em seu hardware, ter parte de seus arquivos deletada ou corrompida, e até mesmo ser invadido por hackers. Devido a estes e outros riscos é que o backup se faz necessário.

Pendrive, HD externo ou nuvem?

Para evitar este tipo de problema e manter a segurança dos dados, é importante que a empresa, independentemente de seu porte, busque por um serviço de armazenamento de dados digitais – os backups.

O backup é uma importante ferramenta que realiza a cópia de documentos e outros arquivos digitais em um sistema de armazenamento. Existem algumas maneiras de se fazer o backup, como por exemplo, em pen drives, HD externos e mídias de CD e DVD. Entretanto, apesar da simplicidade destas opções, elas podem apresentar riscos.

Como se tratam de armazenamentos físicos, ou seja, objetos, eles estão sujeitos a danos ou podem simplesmente deixar de funcionar de um dia para o outro, resultando na perda dos arquivos.

Por este e outros motivos, é importante avaliar qual tipo de backup é ideal para o seu negócio. Para te ajudar, listamos a seguir 5 deles e suas respectivas funcionalidades. Acompanhe.

5 modelos de backup que podem ser utilizados por empresas

1. Armazenamento físico: O armazenamento físico é o tipo de backup que explicamos anteriormente. Trata-se de pen drives, HD externos e mídias graváveis (CD e DVD). Uma vez que este tipo de backup está sujeito a inúmeras situações que podem resultar à perda de dados, seu uso não é muito recomendado.

Pequenos empreendimentos, profissionais autônomos e home office que não têm como custear soluções mais completas, podem se beneficiar do armazenamento físico. Contudo, é necessário garantir cópias destes armazenamentos, para prevenir qualquer tipo de problema.

2. Backup em nuvem: Uma das maneiras mais seguras e práticas de armazenar seus arquivos, o backup em nuvem consiste em um sistema virtual. Isso significa que, para ter acesso à plataforma e fazer o envio ou download de documentos, é necessário estar conectado à Internet.

Uma das principais vantagens do backup em nuvem é o seu fácil acesso, que pode ser feito por meio de qualquer computador ou dispositivo móvel, desde que conectado. Vale destacar também que ao investir neste tipo de backup, a empresa está livre contra ciberataques, entre outros perigos os quais o armazenamento físico é suscetível.

Existem alguns serviços de armazenamento em nuvem gratuitos como o Google Drive e o Dropbox, porém, eles costumam ser limitados. As versões pagas disponibilizam espaço maior para armazenamento, entre outros recursos. Este modelo é recomendado para todos os tipos de empresa.

3. Completo: Todos os documentos do negócio têm uma cópia e são constantemente atualizados. Sendo assim, este tipo de backup requer mais espaço para o armazenamento e tempo, uma vez que está lidando com diversos arquivos.

Com o backup completo, a empresa sempre terá a mão uma cópia de seus dados, com isso, não há o perigo de alguma informação importante ser perdida. Ele é recomendado para médias e grandes empresas.

4. Incremental: O backup incremental pode ser utilizado como um complemento do backup completo, embora esta não seja necessariamente uma regra. Isso porque após a conclusão do backup completo, são feitas cópias dos arquivos alterados.

Esta modalidade de backup é indicada para empresas de grande porte, que lidam com uma quantia considerável de dados.

5. Diferencial: Semelhante ao backup incremental em seu primeiro uso, a operação diferencial copia somente as alterações dos dados. O que o difere do incremental é o fato de ele ter como referência para suas alterações, o último backup completo realizado.

Uma vez que o diferencial realiza o armazenamento de dados desde o último backup completo, ele terá mais dados que a modalidade incremental, demandando mais espaço e tempo para sua execução. Este tipo de backup é ideal para empresas de pequeno e médio porte.

Ainda está em dúvida sobre qual tipo de backup é ideal para o seu negócio? Então entre em contato conosco e conheça a Elo Backup, nossa solução de backup em nuvem.



WordPress and WHMCS integration by i-Plugins