Blog


Nuvem ou backup local: qual a melhor forma de armazenamento?

Os dados angariados pelas empresas, seja de informações de clientes ou histórico de vendas, por exemplo, conferem um importante diferencial competitivo para tais organizações. E o procedimento mais importante para mantê-los protegidos é o backup de dados, ou cópia de segurança, uma espécie de local alternativo de armazenamento que evita que a sua empresa perca dados críticos em virtude de eventualidades como desastres físicos ou ataques digitais.

Os principais tipos de armazenamento são o backup físico (ou local) e o backup na nuvem. Peculiaridades à parte, ambos favorecem não apenas a segurança dos dados, como também a recuperação rápida deles quando houver necessidade, sem interferir nos processos internos.

Mas, afinal, qual a melhor forma de armazenamento: nuvem ou backup local? Na sequência do artigo, você entenderá as diferenças entre elas e qual o modelo mais aplicável ao seu negócio.

Backup local

O backup local ou backup físico pode ser feito em fita ou, mais comumente, em disco rígido (HD externo).

A grande vantagem de quem opta pelos HDs é a possibilidade de ele estar sempre à mão, sem que ninguém tenha acesso aos seus dados. Ademais, o fato de ficarem na própria empresa possibilita uma atualização diária.

A grande desvantagem, como é de se esperar, é a fragilidade desse dispositivo. Um HD externo está suscetível a roubos e danos, além de desastres naturais, incêndios e outras eventualidades. A partir do momento que você confia nele como única opção de backup, uma falha pode fazer a sua empresa perder todos os seus dados.

Empresas que optam pelo backup local normalmente investem em uma solução profissional de armazenamento físico, como um servidor dedicado, por exemplo. Ainda assim, no geral, um sistema de backup local envolve grandes custos com energia elétrica, manutenções e atualizações.

Backup na nuvem

O backup em nuvem é uma solução mais moderna e tem ganhado bastante adesão das empresas. Nesse sistema, os dados ficam armazenados em um data center administrado por um terceiro contratado para essa finalidade.

O cloud backup traz vantagens importantes. Ao contrário dos HDs externos, esta solução permite o armazenamento dos dados em um local totalmente seguro contra roubos e desastres naturais. Outra vantagem deste tipo de backup está na mobilidade: os dados podem ser acessados de qualquer lugar, inclusive a partir de um smartphone. Basta uma conexão de internet e, obviamente, que você tenha permissão de acesso para tal finalidade.

Outra vantagem é que a capacidade de armazenamento é flexível, ou seja, ela se adapta à demanda que a sua empresa consegue suportar. O principal ponto negativo é uma restauração mais demorada, dependendo do seu volume de dados e da velocidade da rede de internet.

Qual a melhor solução?

É inegável que o backup na nuvem oferece vantagens tentadoras, como a mobilidade, flexibilidade, redução de custos e escalabilidade. Mas o ideal é combiná-lo também com um backup físico. Afinal, o armazenamento local pode ser decisivo para dinamizar a recuperação de arquivos essenciais em caso de perda.

Está à procura de uma solução de backup para o seu negócio? Clique aqui https://elobackup.com.br/planos/ e conheça nossas opções!


6 mitos e verdades sobre o backup em nuvem que você precisa conhecer

O backup em nuvem é uma das tecnologias que mais ganharam espaço no mercado nos últimos anos. As empresas entenderem que se trata de uma forma de modernizar, economizar e gerar competitividade devido aos inúmeros benefícios da computação em nuvem.

Se você ainda não conhece essa tecnologia inovadora, convidamos você a desvendá-la. Nesse artigo vamos apresentar 3 mitos e 3 verdades sobre o backup em nuvem que você precisa convencer.

Mitos

É um serviço caro

Existem diversos serviços de cloud computing, e com isso temos um mercado aquecido. O preço, diante deste cenário, cai bastante. Além disso, há diversos pacotes à sua disposição. Ao contratar o serviço de computação em nuvem, você só vai pagar pelas funções que desejar.

A nuvem não é segura

Toda empresa teme perder todos seus dados. Por isso, muitas rejeitam a ideia de backup em nuvem, acreditando não ser uma forma de armazenamento seguro. No entanto, com o cloud computing seus dados estão mais a salvo do que em dispositivos físicos.

Todos as informações são criptografadas, e em alguns casos fragmentadas em vários servidores. Ou seja, um criminoso digital não conseguiria acessá-los integralmente, já que estariam divididos em máquinas diferentes.

O backup em nuvem não é flexível

Talvez um dos maiores equívocos é achar que o backup em nuvem não é dinâmico e flexível. Há quem acredite isso pelo fato de que você precisa acessar a internet. No entanto, seus dados estão online, de modo que você pode acessá-los de qualquer lugar, ao contrário de um servidor físico.

Imagine a facilidade de poder mostrar para clientes de outra cidade inúmeras informações, por exemplo. Com um servidor físico isso não seria possível, pois você teria que levar as informações. Mas com a nuvem, basta você mesmo logar no servidor, do próprio smartphone, e ter acesso aos dados.

Verdades

O backup em nuvem gera economia

Não é só com o dispositivo que você vai economizar. A partir do momento que você passa a contar com um serviço em nuvem, deixará de utilizar os serviços de manutenção de hardware. Ou seja, se você precisa empregar profissionais de TI, pode até mesmo reduzir a equipe e a folha de pagamento.

Além disso, sua empresa ganha até mesmo em espaço pois não irá precisar guardar servidores. Ao contratar um serviço de computação em nuvem, você já tem assistência técnica especializada para o momento que precisar.

Serve para qualquer empresa

Quando surge uma nova tecnologia, normalmente são as grandes empresas as primeiras a usufruir dela. Mas isso não acontece com o cloud computing. Independentemente do tamanho da empresa, todas podem contar com backup em nuvem. Não é à toa que existem inúmeros HDs virtuais para o usuário comum.

É uma inovação indispensável

O serviço de backup em nuvem é bastante recente, e mesmo assim extremamente acessível. Armazenar dados online é um recurso que mudou a forma de armazenamento justamente porque as empresas só têm a ganhar com ele.

Existem diversos planos com tamanhos diferentes de armazenamento. Escolha o que mais se encaixa com sua empresa e aproveite. Você pode fazer isso visualizando os pacotes de backup em nuvem visitando nossa página de Planos. Não deixe de conferir!


Saiba como o backup em nuvem pode ajudar sua empresa na proteção de dados

Como anda a segurança dos dados da sua empresa? Você acredita que eles estão devidamente protegidos com o sistema disponibilizado? Esses questionamentos são extremamente importantes para você entender qual a atual situação dos dispositivos em seu negócio e por que isso é essencial para todos os envolvidos no processo (você, seus clientes e fornecedores).

Isso porque os dados armazenados no servidor de sua empresa podem estar sujeitos a ameaças constantes, como a invasão de hackers, ataques de vírus e malwares, e a perda total de informações por problemas externos. Para assegurar a continuidade das operações e proteger seu negócio, é essencial contar com uma solução que garanta tudo isso, como o backup em nuvem.

Por mais que seja um dos sistemas mais seguros e eficientes, ainda existem dúvidas sobre o backup em nuvem. Para você que ainda tem questionamentos sobre essa plataforma, mostraremos como esse método de armazenamento funciona e como pode ajudar sua empresa na proteção de dados.

Como o backup em nuvem pode ajudar sua empresa na proteção de dados

Para entender por que o backup em nuvem é uma solução inteligente para sua empresa, é importante compreender seu conceito. Ele se refere ao armazenamento de dados em servidores remotos baseados no cloud computing, ou seja, em um sistema em que você pode transferir e acessar suas informações por meio da internet, onde e quando precisar.

Atualmente, muitas empresas já utilizam essa forma de armazenamento, não somente como uma plataforma segura, onde ficam as cópias de seus dados, mas também como um dispositivo principal de arquivamento. Dessa forma, os computadores e sistemas ficam diretamente conectados ao backup em nuvem como se fosse o HD principal.

Mas como o backup em nuvem pode ajudar sua empresa na proteção de dados? Inicialmente, pense na quantidade de informações geradas diariamente nos diversos processos que fazem parte da rotina de seu escritório. Todas elas são essenciais para o funcionamento do negócio e precisam estar acessíveis caso seja necessário.

O problema é que dispositivos como HDs externos e pen drives são muito limitados e estão sujeitos a perdas, defeitos e outros problemas. Já um servidor interno também tem limitações quanto à capacidade de armazenamento e está exposto ao não funcionamento caso haja uma queda de energia na empresa.

Com o backup em nuvem, esses riscos são altamente minimizados. Os servidores ficam armazenados em lugares que funcionam ativamente a todo o momento, com suporte técnico gerenciado pela empresa fornecedora do serviço. Ou seja, não existe o risco de seus dados ficarem inacessíveis por falta de energia, por exemplo.

Além disso, sua empresa consegue utilizar o backup em nuvem para armazenar e fazer cópias de segurança de qualquer tipo de dado ou software. Caso seja necessário ampliar ou reduzir a capacidade de armazenamento, isso pode ser feito automaticamente, pois o servidor se adapta às necessidades.

E, mesmo em caso de desastres de grande proporção, o provedor possui sistemas eficientes de segurança e recuperação de dados. Dessa forma, mesmo que haja problemas com acesso, o servidor tem a capacidade de fornecer uma instância exata de qualquer dispositivo, seja de um desktop ou um sistema completo.

Quer conhecer nossas soluções em backup na nuvem e garantir mais segurança para sua empresa? Acesse nosso site Elo Backup e confira tudo o que podemos oferecer para você e sua empresa.


Quais as etapas essenciais no processo de backup em nuvem?

Realizar um backup em nuvem é um processo simples e muito eficaz. Hoje em dia praticamente todas as empresas utilizam este tipo de serviço para manter suas informações seguras e protegidas. Entretanto, é preciso tomar cuidados para que todas as etapas do backup sejam cumpridas. Isso ajuda a garantir a eficácia do armazenamento e tornar os dados mais facilmente encontrados. Além disso, deixa-os realmente protegidos.

Veja a seguir, quais são as etapas essenciais de um processo de armazenamento em nuvem.

O processo de backup em nuvem

Ninguém melhor do que nós para avaliarmos o quanto nossos dados são valiosos. Por isso, é importante buscar uma forma segura de guardá-los. O backup em nuvem é a forma mais eficaz, segura e ainda faz você economizar muito espaço. Para realizar um bom procedimento é importante cumprir algumas etapas essenciais:

Escolha um serviço de backup compatível com suas necessidades

Ao escolher um serviço de backup em nuvem é importante ficar atento para alguns pontos essenciais. O primeiro deles é em relação à segurança. Que tipo de protocolos a empresa fornecedora disponibiliza para manter os dados realmente seguros? Além disso, que tipo de facilidades o sistema oferece para localizar melhor os dados? Existe um espaço de armazenamento limitado? Como é feito o acesso remoto dos dados sem comprometer sua confidencialidade? A empresa que realiza o backup oferece suporte?

É preciso ter uma boa conversa com o fornecedor para entender todas estas questões antes de contratar o serviço. Além destas perguntas básicas, anote outras questões que sejam pertinentes levando em conta os seus negócios.

Organize os acessos

Na nuvem também é possível organizar os acessos de modo que fiquem disponíveis para as pessoas certas. Inclusive, os arquivos podem ser compartilhados para que mais de uma pessoa consiga vê-los e modificá-los. Isso é útil para determinados tipos de trabalho em equipe. Esse passo necessita de bastante cuidado para garantir que cada pessoa consiga visualizar aquilo que realmente faz parte de seu serviço. É outra forma de manter a empresa protegida, já que existe um controle dos acessos. Por isso, esse é um passo importante ao organizar seu backup em nuvem.

Segurança do backup

Fazer um backup em nuvem pode até ser um processo simples. Porém, é importante manter os dados seguros para evitar acessos de terceiros. Para isso, você precisa manter todos os seus arquivos com senhas e criptografados.

Na dúvida sobre como fazer isso, é sempre bom ter o suporte da empresa para explicar o procedimento e garantir a segurança de suas informações. É importante também que a empresa faça um monitoramento constante do armazenamento para se certificar de que tudo está protegido. O suporte técnico, aliás, deve estar disponível para qualquer eventualidade como formatação de computadores por exemplo.

Outra forma de garantir a segurança do processo é realizar o backup de forma automática. Assim, você tem mais comodidade e tem a certeza de que suas informações estão corretamente armazenadas.

Lembre-se de verificar com a empresa fornecedora quais são as facilidades que ela pode oferecer a você. Tenha em mente as suas necessidades e veja o quanto elas são compatíveis com os serviços oferecidos. Para conhecer outras facilidades do backup em nuvem acesse: site da Flexa Cloud.


Vírus: como se proteger de forma eficiente?

Os vírus estão entre os principais – e mais temidos – programas de computador e celular conhecidos. Esses softwares surgiram praticamente junto com os equipamentos computacionais que utilizamos e, em sua grande maioria, podem causar danos a inúmeros dispositivos. Dessa forma, necessita-se entender como se proteger de forma eficiente dos vírus.

Isso porque apenas o velho método do antivírus não possibilita se livrar desses componentes maliciosos espalhados pela rede. Mas, como proceder nesse caso? Há uma série de recursos e ações que trazemos abaixo: como se proteger de forma eficiente dos vírus para que seu computador, tablet, celular e outros equipamentos não sofram com ele.

Confira!

Antivírus ajudam, mas não neutralizam

Esqueça a velha história de que um antivírus irá te deixar protegido de todos os malwares que se encontram na rede. Não há dúvidas que eles ajudam a identificar e até eliminar alguns vírus, mas não neutralizam inúmeras ameaças que pululam na internet.

Ou seja: pode apostar em um bom antivírus, mas tenha consciência de que este método abarca uma pequena proteção em relação ao que há de ameaças na internet. Para evitar problemas que os antivírus não cobrem, há outros métodos contundentes.

Evite baixar arquivos e extensões que não conhece

Essa é a forma mais comum de colocar um vírus na sua máquina: instalar um programa, aplicativo, arquivo ou extensão (até mesmo de navegadores), que não conhece. Um exemplo são aqueles onde o próprio sistema indica que há malwares no momento do download.

Dessa forma, certifique-se sobre a origem do que irá baixar. Busque sites e plataformas com segurança, que sejam autenticados. A maior causa para pegar um vírus é o download de arquivos piratas – que, além de ser crime, traz prejuízo aos seus dispositivos.

Opte por dados e backup em nuvem

Sabe os arquivos que você contém no seu celular ou notebook? Aquele backup que utiliza para segurança? Então: utilize os baseados na nuvem. Soluções do gênero são criptografadas e muitos vírus que chegam até o seu dispositivo não terão acesso aos dados preciosos.

Para maximizar sua proteção, aposte em empresas confiáveis e que mostram como funciona a cadeia de segurança – principalmente a criptografia. Mas, lembre-se: estar exposto na internet, clicar em sites ou baixar arquivos pouco confiáveis podem roubar suas senhas.

Não clique em tudo por aí

Acima falamos de sites que não garantem segurança. O exemplo mais prático de como as pessoas são afetadas por vírus é o famoso e-mail com um endereço malicioso que infecta seu dispositivo. Contudo, os links de WhatsApp, atualmente, também são um grande perigo.

Isso não exclui redes sociais ou até mesmo páginas confiáveis, de notícias, com links nos comentários. Em resumo: não clique em tudo por aí e só entre em sites que você tem total segurança. Uma prévia verificação no link já ajuda (e muito) a evitar esse problema.

Atualize sempre seus dispositivos

Programas, aplicativos e extensões são constantemente atualizados. Além de novas funcionalidades, há uma explicação bem razoável: eles são mais protegidos contra vírus que as versões antigas.

Por isso, mesmo que demore um tempinho para atualizar alguns softwares, a paciência vale a pena. Caso necessário, muitas empresas desenvolvedoras – como a Adobe e o pacote Office, por exemplo – contam com recursos extras contra vírus e malwares.

Conheça o Elo Backup e proteja-se contra as ameaças que visam roubar seus dados. Não deixe de conferir uma série de produtos em site da Flexa Cloud.


Sequestro de dados: saiba como isso pode ser um perigo para a sua empresa!

A segurança de dados é imprescindível no mundo corporativo. Isso porque há uma série de recursos, como informações dos clientes, documentos gerenciais, movimentações financeiras, entre outros, que precisam se manter seguros. Conhecer como o sequestro de dados pode ser um perigo para sua empresa se torna fundamental nos dias atuais.

A IBM, gigante da tecnologia, demonstrou isso em um estudo – ‘Custos de Violação de Dados’ – apontando que a probabilidade de uma empresa no Brasil sofrer um ataque de um hacker cresceu 43% em relação aos últimos cinco anos. Por isso, trazemos um artigo completo que explora como o sequestro de dados pode ser um perigo para sua empresa.

Confira!

Ransomwares: o sequestro de dados

Há uma terminologia específica quando falamos de arquivos, dados e outros componentes que são, literalmente, sequestrados de uma empresa: ransomwares. Como outros programas maliciosos, esse tipo de vírus chega até a máquina – muitas vezes de forma silenciosa – e pode extrair inúmeras informações preciosas.

Quando falamos de sequestros de dados, a etimologia está correta: os hackers sequestram parte da estrutura digital de uma empresa. Posteriormente, bloqueiam o acesso do próprio negócio com senha e permissão apenas concedida a eles próprios através de um método de criptografia.

Mas, o que eles fazem com esses dados? Há uma série de possibilidades, mas a principal é o pedido de um resgate – sim, como se uma pessoa fosse sequestrada – para liberar novamente o acesso. Geralmente, o pedido em valores é feito para não identificar o hacker, principalmente através de bitcoins e moedas eletrônicas do gênero.

Um perigo real

Não pense que os ataques nesse sentido são feitas apenas em grandes corporações ou em plataformas do governo: micro, pequena e médias empresas são as mais afetadas. O motivo é claro – quanto menos segurança e práticas nocivas dentro do negócio, maior a abertura que o hacker encontra para sequestrar os dados.

O problema não para por aí: quem centraliza as informações em servidores internos e a automação de dados em dispositivos poucos (ou nada) seguros, será um alvo relativamente fácil para hackers preparados. Assim, faz-se necessário entender como evitar esse tipo de problema cada vez mais comum.

Os problemas são vários, mas os mais comuns são:

– Empresas não conseguem mais cumprir suas rotinas, devido ao bloqueio de dados importantes;

– Informações sigilosas de clientes caem na mão dos cibercriminosos;

– Transações financeiras, quando contidas em arquivos ou facilitadas na empresa, também geram prejuízo;

– Pode-se perder, permanentemente, os dados sequestrados.

O que fazer e como se prevenir?

É bem possível que, ao criptografar e sequestrar seus dados, o hacker tenha controle absoluto por determinado período das informações. Ao identificar o ransomware é preciso desligar o equipamento infectado e proceder junto a uma equipe de TI especializada. Esse processo impede que mais máquinas sejam vulneráveis ao ataque.

Também é preciso entender que sequestro de dados é um crime, ou seja, um caso de polícia. Por isso, recomenda-se evitar o pagamento para resgatar as informações. Formatar os equipamentos podem ajudar. Contudo, tudo pode ser prevenido através de três práticas que quase impossibilitam o sequestro de dados:

– Manter seus arquivos na nuvem. Como há ambientes criptografados e extremamente seguros com empresas confiáveis, isso irá dificultar a vida do hacker;

– Os backups também precisam estar na nuvem. Determinados ransomwares procuram não apenas os dados, mas os backups em servidores internos;

– Um treinamento assertivo de cibersegurança. Mostrar a sua equipe (e isso inclui todos), a importância da navegação segura – em sintonia com as duas práticas acima – deixa quase impossível ter esse problema na sua empresa.

Sabendo como o sequestro de dados pode ser um perigo para as empresa, amplie a segurança interna do próprio negócio: conheça o Elo Backup. Não deixe de conferir produtos e soluções sob medida em site da Flexa Cloud. .


Afinal, os servidores dedicados são seguros?

Os servidores, sejam os dedicados ou os compartilhados, são nada menos do que a espinha dorsal de toda uma infraestrutura de TI e são de suma importância para a existência de um ambiente digital; ou seja, sem um servidor não há absolutamente nada – nem envios de e-mails nem sites para ser acessados, nem pagamentos online ou arquivos armazenados na nuvem.

E dada a importância dos servidores, surgem questões como qual é o melhor e, principalmente, qual é o mais seguro. Neste artigo, falaremos sobre os servidores dedicados, se eles são seguros e, é claro, se eles são a melhor opção para você utilizar na sua empresa e em seus negócios. Continue a sua leitura e confira!

O que são os servidores dedicados?

O servidor dedicado trata-se de um servidor físico, certamente você já deve ter visto um, com muitas luzes e cabos. Eles normalmente ficam armazenados em data centers (lugares criados especialmente para isso e muito seguros), garantindo aos seus utilizadores não apenas o máximo de segurança que se possa esperar, mas também um desempenho muito superior – isso porque ele é de uso exclusivo seu e da sua empresa, não há outros hospedeiros sobrecarregando o servidor e, ocasionalmente, causando a queda do serviço.

Ainda por se tratar de um servidor que é de uso exclusivo, você pode configurá-lo da maneira que achar melhor, com diversas opções de ajuste como o processador utilizado, os discos rígidos, a memória, podendo deixar o desempenho do seu servidor ainda melhor.

Além de ter o controle do hardware (da parte física do servidor), você tem também o controle do software, ou seja, de todos os componentes, a programação e tudo o mais que controla o funcionamento deste servidor, sem restrições. Isso significa que o servidor dedicado é altamente customizável, uma opção excelente para qualquer empresa que queira algo além do básico.

É ideal ainda para aquelas empresas que normalmente lidam com um grande número de processamento de dados e que possuem um grande tráfego em sua rede (seja através de sites, blogs, lojas virtuais e etc.), pois como o servidor dedicado é de uso exclusivo (diferente do compartilhado), todo o processo é muito mais ágil.

Mais uma informação importante a respeito dos servidores dedicados é que eles podem ser adquiridos com a opção de ser ou não gerenciados, ou seja, existem duas maneiras de funcionar. A primeira é com uma empresa terceirizada fazendo todo o gerenciamento para você, a segunda é com todas as funções pertencentes a você e a sua empresa.

Ao adquirir um servidor gerenciado, você escolhe as configurações que deseja e faz o envio de dados, somente isso, todo o resto – execução, manutenção, atualizações de sistema, filtragens, varreduras contra vírus, segurança e etc. – são de responsabilidade da empresa contratada para o gerenciamento do servidor.

Ao optar pelo servidor dedicado não gerenciado, todas as funções que o envolvem serão de sua inteira responsabilidade. O ponto positivo dessa opção é que você tem o controle absoluto sobre o servidor, mas o ponto negativo é que, além disso, custar muito caro, os riscos em questão de segurança são bem maiores.

O servidor dedicado é realmente seguro?

Pelo que é possível concluir até aqui, o servidor dedicado realmente parece ser uma opção bem segura – isso é claro, se tudo for feito adequadamente, desde a configuração de hardware, como de software e o seu gerenciamento.

Se você busca segurança acima de tudo, certamente o servidor dedicado é a melhor opção para você, pois além de uma estabilidade muito maior das conexões, como ele é de uso exclusivo, sua segurança também é de nível muito superior.

O servidor compartilhado não é uma opção recomendada para quem deseja segurança, pois como ele comporta muitos hóspedes, ou seja, hospeda muitos sites, blogs, lojas, enfim, entre muitos outros endereços, uma eventual quebra de segurança em qualquer outra dessas redes hospedadas no mesmo servidor que você utiliza pode colocar seus dados em risco e deixar sua rede sujeita a uma invasão.

Com o servidor dedicado as chances de invasões são muito menores, elevando assim o seu índice de segurança.

Agora que você já conhece mais sobre servidores, sabe o que é o servidor dedicado e os benefícios que oferece para a sua empresa e a otimização de seus negócios, que tal investir em segurança e eficiência para a sua empresa?


Quais os melhores tipos de backup na nuvem?

A segurança da informação ganhou em eficiência com a adoção da computação em nuvem. Além de tudo, as empresas passaram a economizar recursos que antes iam para HDs e Data Centers. Os dados agora ficam armazenados em servidores remotos. Neste contexto de otimização trazido pelo cloud você sabe quais os melhores tipos de backup na nuvem?

Escolher bem a ferramenta utilizada é importante, em primeiro lugar, para garantir que os dados do seu negócio estarão protegidos. De modo geral, o armazenamento em Cloud Computing é mais seguro que outros métodos de guardar a informação. Contudo, mesmo sem os drives físicos é importante que o servidor escolhido apresente mecanismos extras de proteção.

Para quem necessita de um backup simples e de fácil utilização há o Google Drive. Ele apresenta bom espaço de armazenamento, além de sincronização automática. Os documentos armazenados na plataforma podem ser compartilhados e editados. Muitas organizações utilizam o Dropbox, mas este não oferece tanto espaço quanto o Google Drive.

Para expandir o recurso na plataforma é necessário enviar convites ou assinar um plano. Isto faz com que o serviço não seja tão vantajoso. Ainda entre as soluções gratuitas há o OneDrive da Microsoft. Ele também é uma ferramenta que permite armazenamento, sincronização e compartilhamento. É possível ainda editar documentos com a versão online do Office.

Esta plataforma em cloud possui a segurança reforçada. Entretanto suas desvantagens são duas. A primeira é que ele não possui compatibilidade com o sistema Linux. A segunda, é que os planos pagos têm um valor elevado. Em geral eles valem a pena somente nos casos em que a empresa necessita dos serviços do Pacote Office 365.

Conheça os melhores tipos de backup na nuvem: pública, privada e híbrida

A grande maioria dos serviços listados apresenta armazenamento em nuvem pública. Isto significa que o hardware onde são mantidos os dados é compartilhado. Quem precisa de níveis maiores de controle e segurança deve optar pela nuvem privada. Nestes serviços, que atendem altas demandas, os recursos são utilizados exclusivamente para a sua organização.

Como esta é uma alternativa mais custosa, não é recomendada para pequenos negócios. Para os empreendimentos de médio porte em diante a indicação é a nuvem híbrida. Neste caso é possível guardar os dados mais sensíveis na forma privada e tratar outras informações na nuvem pública. Assim a empresa alia os melhores tipos de backup na nuvem de uma só vez.

Uma última indicação para você que busca por segurança no armazenamento dos seus dados é o Elo Backup. Trata-se de uma solução de baixo custo e que apresenta proteção contra ransomware. Estes malwares são um dos softwares mais nocivos circulando na web. Através deles, hackers promovem o sequestro de dados, causando prejuízos inestimáveis às empresas.

Entre os melhores tipos de backup na nuvem você quer aquela solução que se mostre barata, simples e segura? Aproveite, então, para visitar o nosso site. Conheça melhor o Elo Backup e descubra como armazenar informações sensíveis com total proteção, inclusive contra ransomware. Para outras soluções na nuvem, visite a nossa página.


Nuvem pública X nuvem privada: qual a diferença entre as duas?

A forma como usuários, dispositivos e sistemas lidam com a informação hoje passa invariavelmente pela computação em nuvem. O Cloud Computing, como também é chamado, emprega a capacidade para armazenamento e processamento de sistemas acessados através da internet. Com relação à hospedagem de informação, você sabe a diferença de nuvem pública X nuvem privada?

A nuvem pública é a o tipo mais utilizado. Em muitos casos ela está implicada no conceito de software enquanto serviço (SaaS). Nesta forma de cloud os recursos oferecidos (armazenamento, servidores, etc.), estão localizados no provedor de um serviço de nuvem terceirizado. Isto significa que existe um hardware físico compartilhado na ponta oposta à do usuário.

Este sistema é análogo a um prédio. Ou seja, você compartilha a mesma estrutura física geral que os outros locatários. Apesar disto, possui o seu espaço particular neste dispositivo de armazenamento. Toda troca de informações ocorre através da internet. E-mails baseados na web e alguns aplicativos são exemplo desta categoria.

Dos dois, este é o recurso mais barato, já que o usuário paga apenas por aquilo que utiliza. Quanto à nuvem privada, o serviço entregue, contando o provedor de serviços, é de uma única empresa. Assim, esta nuvem pode se localizar no Data Center do próprio cliente, ou em um hardware da fornecedora. O que importa é que os recursos são dedicados exclusivamente à sua organização.

O investimento nesta forma de Cloud Computing é maior, e indicado apenas para quando é necessário lidar com demandas intensas. Para se ter uma ideia, é comum a sua adoção por órgãos governamentais e instituições financeiras. A seguir, trataremos dos benefícios de cada uma das nuvens citadas.

Nuvem pública X nuvem privada: benefícios da aplicação de cada tipo

Os benefícios da nuvem pública começam pela economia de custos. Isto ocorre porque a infraestrutura fica totalmente a cargo da fornecedora. Para negócios de pequeno e médio porte é a solução ideal. Além disto, o modelo em questão é escalável, o que tem grande utilidade para o crescimento dos negócios.

Também há economia no quesito de manutenção. Ao retomarmos a comparação nuvem pública X nuvem privada, na segunda temos como vantagem a segurança aprimorada. Isto ocorre devido à exclusividade dos recursos oferecidos. Graças a isto, o nível de controle sobre a totalidade da operação aumenta. Este serviço também é mais customizável.

Tal flexibilidade permite que a organização personalize o ambiente de nuvem para atender com precisão às suas demandas. Assim como na nuvem pública há aqui o potencial de escalabilidade. Devemos lembrar ainda que existe a alternativa híbrida. A junção permite que algumas informações fiquem armazenadas nas redes públicas, enquanto outras mais sensíveis vão para a nuvem privada.

O fato é que cada opção oferece as suas vantagens particulares dependendo do contexto e necessidade da empresa. Depois de conferir as diferenças entre nuvem pública X nuvem privada, quer conhecer uma solução barata, simples e segura? Então aproveite para visitar o nosso site.

Conheça o Elo Backup e descubra uma forma de realizar os seus backups com total proteção, inclusive contra ransomwares. Para outras soluções na nuvem, visite a nossa página.


Qual a diferença entre backup full e incremental?

Hoje em dia backup não é mais um luxo de grandes empresas. E sim uma necessidade até para novos e pequenos negócios que desejam proteger seus dados.

Guardar os dados em um serviço de cloud computing é um mecanismo de segurança para que, em caso de problemas, possa recuperar todo seu trabalho. O que muitos não sabem, no entanto, é que existem vários tipos de backup.

Não é apenas transferir os arquivos para a nuvem sem uma lógica, existem estratégias para fazê-lo de forma eficiente e segura. No artigo de hoje vamos falar sobre a diferença entre dois desses tipos: o backup full e o backup incremental. Confira:

Características e diferenças entre backup full e backup incremental

O primeiro tipo que falaremos é o backup full, também conhecido como backup completo. É a forma mais simples de armazenamento, já que basta copiar e transferir todos os arquivos e pastas do sistema para o servidor na nuvem.

Esse método é usado obrigatoriamente na primeira vez que é feito o backup, mas também é uma estratégia que pode ser usada para a atualização dos arquivos. Assim, da segunda vez em diante, ele inclui tanto os arquivos novos, quanto os que já estavam guardados de uma transferência anterior, substituindo até dados que não foram modificados desde a última atualização.

A principal vantagem do backup full é que ele cria uma cópia idêntica ao seu ambiente de trabalho como está atualmente. É a maneira mais segura de guardar os dados e ajuda a recuperá-los integralmente e facilmente em caso de perda.

Por outro lado, a desvantagem é o tempo de demora do backup full. Quanto mais arquivos sua empresa possui, mais tempo este método leva para transferir tudo. Além disso, por copiar tudo a cada backup, ele ocupa grande espaço de armazenamento.

Já o backup incremental é uma forma de transferência de dados para a nuvem de maneira parcial. No caso, apenas os arquivos criados, adicionados ou modificados após o último backup – independente do tipo usado antes – são copiados novamente. Para utilizar a estratégia incremental é preciso que o sistema compare com os arquivos guardados para assim identificar o que foi alterado ou acrescentado desde a última atualização. A partir disso, poderá transferir esse fragmento de backup para a nuvem.

O benefício de usar o backup incremental é que ele realiza a cópia de apenas um pedaço de todo o sistema. Desta maneira, o arquivo gerado para o backup é menor e o procedimento é mais rápido, sendo uma técnica eficiente para o dia a dia.

Por outro lado, quando se trata da restauração, o processo é mais demorado. Isto porque que para recuperar os dados, primeiro é preciso restituir o backup full original para depois restituir os arquivos do incremental.

Assim, o ideal é utilizar o backup incremental para salvar as modificações diárias do trabalho, mas realizar backup full de tempos em tempos para tirar o melhor de cada estratégia.

Independente do tipo utilizado, manter um backup constante na sua empresa é fundamental para preservar o seu trabalho. Visite nosso site para saber mais sobre nossos serviços de backup e conheça nossos planos. E você pode aprender mais sobre cloud computing no site da Flexa Cloud.



WordPress and WHMCS integration by i-Plugins